EXPLORE

foco in cenafoco in cena

Ampliar
Memória do FITB
Anterior
Memória do FITBMemória do FITBMemória do FITBMemória do FITBMemória do FITBMemória do FITB
Memória do FITBMemória do FITBMemória do FITBMemória do FITBMemória do FITBMemória do FITB
Memória do FITBMemória do FITBMemória do FITBMemória do FITBMemória do FITBMemória do FITB
Memória do FITBMemória do FITBMemória do FITBMemória do FITBMemória do FITBMemória do FITB
Memória do FITBMemória do FITBMemória do FITBMemória do FITBMemória do FITBMemória do FITB
Memória do FITBMemória do FITBMemória do FITBMemória do FITBMemória do FITBMemória do FITB
Memória do FITBMemória do FITBMemória do FITBMemória do FITBMemória do FITBMemória do FITB
Memória do FITBMemória do FITBMemória do FITBMemória do FITBMemória do FITBMemória do FITB
Memória do FITBMemória do FITBMemória do FITBMemória do FITBMemória do FITBMemória do FITB
Memória do FITBMemória do FITBMemória do FITBMemória do FITBMemória do FITBMemória do FITB
Memória do FITBMemória do FITBMemória do FITBMemória do FITBMemória do FITBMemória do FITB
Memória do FITBMemória do FITBMemória do FITBMemória do FITBMemória do FITBMemória do FITB
Memória do FITBMemória do FITBMemória do FITBMemória do FITBMemória do FITBMemória do FITB
Memória do FITBMemória do FITBMemória do FITBMemória do FITBMemória do FITBMemória do FITB
Memória do FITBMemória do FITBMemória do FITBMemória do FITBMemória do FITBMemória do FITB
Memória do FITBMemória do FITBMemória do FITBMemória do FITBMemória do FITBMemória do FITB
Memória do FITBMemória do FITBMemória do FITBMemória do FITBMemória do FITBMemória do FITB
Memória do FITBMemória do FITBMemória do FITBMemória do FITBMemória do FITBMemória do FITB
Memória do FITBMemória do FITBMemória do FITBMemória do FITBMemória do FITBMemória do FITB
Memória do FITBMemória do FITBMemória do FITBMemória do FITBMemória do FITBMemória do FITB
Memória do FITBMemória do FITBMemória do FITBMemória do FITBMemória do FITBMemória do FITB
Memória do FITBMemória do FITBMemória do FITBMemória do FITBMemória do FITBMemória do FITB
Memória do FITBMemória do FITBMemória do FITBMemória do FITBMemória do FITBMemória do FITB
Memória do FITBMemória do FITBMemória do FITBMemória do FITBMemória do FITBMemória do FITB
Memória do FITBMemória do FITBMemória do FITBMemória do FITBMemória do FITBMemória do FITB
Memória do FITBMemória do FITBMemória do FITBMemória do FITBMemória do FITBMemória do FITB
Memória do FITBMemória do FITBMemória do FITBMemória do FITBMemória do FITBMemória do FITB
Memória do FITBMemória do FITBMemória do FITBMemória do FITBMemória do FITBMemória do FITB
Memória do FITBMemória do FITBMemória do FITBMemória do FITBMemória do FITBMemória do FITB
Memória do FITBMemória do FITBMemória do FITBMemória do FITBMemória do FITBMemória do FITB
Memória do FITBMemória do FITBMemória do FITBMemória do FITBMemória do FITBMemória do FITB
Memória do FITBMemória do FITBMemória do FITBMemória do FITBMemória do FITBMemória do FITB
Memória do FITBMemória do FITBMemória do FITBMemória do FITBMemória do FITBMemória do FITB
Memória do FITBMemória do FITBMemória do FITBMemória do FITBMemória do FITBMemória do FITB
Memória do FITBMemória do FITBMemória do FITBMemória do FITBMemória do FITBMemória do FITB
Memória do FITBMemória do FITBMemória do FITBMemória do FITBMemória do FITBMemória do FITB
Memória do FITBMemória do FITBMemória do FITBMemória do FITBMemória do FITBMemória do FITB
Memória do FITBMemória do FITBMemória do FITBMemória do FITBMemória do FITBMemória do FITB
Memória do FITBMemória do FITBMemória do FITBMemória do FITBMemória do FITBMemória do FITB
Anterior
Clique na imagem para acessar a exposição
Assistir

Memória do FITB

Festival Internacional de Teatro de Bonecos / Homenagem a Lelo Silva (Belo Horizonte / Brasil)

O Festival Internacional de Teatro de Bonecos de Belo Horizonte, realizado no período de 2000 a 2015 na capital mineira, foi um evento que reuniu companhias e personalidades de grande relevância no cenário nacional e internacional, ligadas ao teatro de formas animadas. Sua extensa programação incluiu espetáculos de palco e rua, oficinas, exposições e palestras.

O festival deixou na cidade a marca de produções consistentes, que elevaram o pensamento estético a respeito do teatro de animação. Arte presencial em constante movimento, o teatro de formas animadas esteve por muito tempo recolhido como entretenimento exclusivo para crianças. Em 2000, ano de estréia do festival em Belo Horizonte, pouco se sabia sobre o gênero.

Após participar de festivais no exterior, Lelo Silva e Adriana Focas entenderam que era necessário fazer a capital mineira sair do campo do quase completo desconhecimento para se entregar à aventura de descobrir nas formas animadas lugar de encantamento, diversão e reflexão. Já em sua primeira edição, o festival reuniu talentos que impressionaram platéias de todas as idades.

O que de início parecia utopia, tornou-se realidade. Ao longo de 15 edições, Minas Gerais descobriu o valor da dramaturgia nos espetáculos de teatro de bonecos, desenvolveu critérios para ver os espetáculos e interagir com eles, construiu saberes a respeito de uma arte milenar em alguns países e que, no Brasil, tem forte ligação com a cultura popular. Assim, formou-se um público não só numeroso e interessado, como rigoroso e qualificado.

Para atender às expectativas desse público, a curadoria formada por Leo e Adriana participou dos principais eventos internacionais em busca das melhores atrações. Em Charleville Mezieres, na França, local que abriga o maior festival do gênero no mundo, enfrentava uma maratona de avaliação de cerca de 100 espetáculos por edição para escolher, em média, sete representantes internacionais em condições de se apresentar no já prestigiado festival, em Belo Horizonte.

Procurada por inúmeros produtores durante todo o ano, a organização sempre se pautou na qualidade do entretenimento como principal critério de avaliação. Como resposta, observou o surgimento de novos grupos, o aperfeiçoamento dos já consolidados e a inquietação da platéia de aproximadamente 380.000 pessoas, sempre crítica e aberta às diferentes propostas de investigação.

Lelo Silva faleceu em novembro de 2019, aos 53 anos de idade.?Esta exposição é uma homenagem a ele e a todo o legado deixado através deste festival.

Assista aos depoimentos sobre Lelo Silva e o Festival clicando no ícone à direita, acima deste texto.

Ficha Técnica

Fotógrafos:

Guto Muniz

Kika Antunes

Marco Aurélio Prates

Nereu Jr

Curadoria e montagem: Guto Muniz

Divulgue

Entre em CenaAssistiu esse espetáculo?
Tem algo a nos dizer sobre sua experiência com ele?
Então comente aqui e nos ajude a construir esta história.

FECHAR

Concorra a uma impressão fine art das suas fotos favoritas preenchendo seu nome e e-mail nos campos abaixo. Você fará isso uma única vez a cada acesso ao site, independentemente de quantas fotos marcar. Saiba mais em www.focoincena.com.br/foto-do-mes.


Fechar